Intestino preso

INTESTINO PRESO: O QUE FAZ ISSO ACONTECER?

Quando estamos com o Intestino preso, significa que algo importante não vai bem. Entender o que causa o intestino preso e aprender as dicas que fazem ele ficar mais soltinho podem ser a diferença entre uma pessoa mau humorada e com muitas dores de cabeça de uma pessoa leve, magra e feliz.

Mas pra você entender como fazer seu intestino ficar solto, precisa antes entender o que faz ele prender.

Talvez você ja tenha ouvido falar que somos o que comemos, não é?

E se eu te disser que isso não é verdade…e que acreditar nisso pode ser a causa de você ter crises com o intestino preso?

Intestino preso atinge cada vez mais pessoas em todo o mundo. Alguns casos são diretamente causados pela ingestão de certos alimentos. Outros por um desbalanceamento da flora intestinal.

O fato é que resolver esse problema na origem é a chave de uma vida mais leve, magra e feliz.

Artigos relacionados:

ANA E ZÉLIA: QUEM SÃO ELAS?

Imagine duas mulheres de mesma idade e altura: a Ana e a Zélia.
ana de azul, zélia de rosa
A Ana é magra e saudável. Tem uma rotina leve e feliz.

Acorda muito cedo com energia e disposição. Faz exercícios em casa mesmo, toma um bom café da manha, faz suas necessidades tranquilamente, trabalha até a noite, e dorme feito um anjo.

A Zélia é um pouco diferente. Ela sofre há muitos anos com a balança e precisa perder 15 quilos. Ela acorda com o despertador e aperta o soneca até não dar mais tempo.

Não consegue fazer as necessidades por que tem o intestino preso. Sai atrasada pro trabalho e durante o dia tem q fazer força pra se manter acordada. Sempre precisa de um cafezinho depois do almoço.

Vive estressada e ansiosa. Chega em casa a noite, se joga no sofá e come o que tiver mais fácil. Dorme mal e acorda na manhã seguinte parecendo que não dormiu de novo…e no dia seguinte é a mesma coisa.

Guarda a história dessas duas que já voltamos nelas.

Agora eu quero te fazer uma pergunta com resposta bem óbvia…

VAMOS FALAR DE CARROS

Imagina que na casa dos seus pais tem dois carros BMW com 10 anos de uso: um do seu pai e outro da sua mãe.

Começando pelas semelhanças, as duas BMWs são abastecidas com o mesmo combustível: aditivado da melhor qualidade disponível.

Agora, indo pras diferenças, a BMW da sua mãe vai pra revisão todo mês, é lavada e encerada toda semana.

Já a BMW do seu pai é bem diferente. Nunca viu uma revisão, anda com pneu careca e não lembra qual foi a última troca de óleo.

Mesmo abastecendo os dois com o melhor combustível do mundo, você acha que ambos vão funcionar iguais? Com a mesma leveza e conforto? Você acha que eles vão percorrer as mesmas distancias? E você acha que o tempo de vida útil dos dois carros vai ser o mesmo?

Claro que NÃO!

Olhando para a Ana e para a Zélia, elas podem até comer a mesmíssima coisa e mesmo assim não vão ter o mesmo corpo.

Duas pessoas diferentes comendo os mesmos alimentos não aproveitam da mesma forma os nutrientes. As digestões são completamente diferente e isso tem origem e causa no intestino.

POR ISSO, VOCÊ NÃO É O QUE VOCÊ COME

Porque tão complexo quanto o cérebro e tão importante quanto o coração, nosso intestino muitas vezes é sobrestimado:

  • Nosso corpo e nossa mente respondem ao que comemos e principalmente ao que absorvemos
  • Nosso humor também responde ao que comemos
  • Nosso estilo de vida está diretamente ligado ao que comemos

O que comemos é o que (logicamente) alimenta nosso corpo e nossas células.

Isso quer dizer que se você não tiver os devidos cuidados com ele, seu corpo pode sofrer consequências duras como: não conseguir emagrecer (mesmo tomando remédio), ter depressão, problemas de tireoide, sensibilidades alimentares, problemas de pele, prisão de ventre, cansaço excessivo, unhas e cabelos fracos.

Para alimentar as células, precisamos garantir que o que comemos é o que está efetivamente sendo absorvido pelo intestino.

Seguindo o que vou te passar aqui você pode evitar sintomas de doenças como o intestino preso, disbiose intestinal, síndrome do intestino irritável ou ‘’Leaky Gut’’.

isso tudo são problemas que contribuem para a permeabilidade intestinal. Reduzindo essa permeabilidade, você pode simplesmente desbloquear o seu emagrecimento e até acabar com a ansiedade e depressão!

O QUE É PERMEABILIDADE INTESTINAL?

Existem mais de 12.600 pesquisas pelo mundo sobre permeabilidade intestinal, intestino preso e síndromes do intestino irritável, disbiose intestinal e ‘’Leaky Gut’’.

Cada vez mais a ciência evolui e busca saber mais sobre este órgão que pra muitos especialistas é tão complexo quanto o cérebro e tão importante quanto o coração.

Por muito tempo a medicina se ocupou em descobrir curas de doenças, o que é muito importante para a humanidade.

Agora, na minha opinião, mais importante que curar doenças é saber como evitá-las. E a principal fonte de prevenção de doenças é justamente a saúde dos intestinos.

E prevenir doenças está diretamente relacionado a ter ou não intestino preso.

POR QUE INTESTINO PRESO É RUIM PARA A SAÚDE?

Intestino

Você sabia que a depressão, estresse e ansiedade estão ligadas à saúde do seu intestino? Por isso que dizer que um intestino sem cuidado, além de te engordar, também está estreitamente ligado reações emocionais que envolvem diretamente nosso cérebro.

Por exemplo, estudos não faltam demonstrando da correlação entre autismo e problemas no intestino. Por isso é necessária total atenção para ele!

Sem contar que um intestino saudável acompanhado de uma boa alimentação pode ser o desbloqueio do seu emagrecimento e um chute pra longe nesses problemas emocionais (ansiedade e depressão).

Só pra você ter uma ideia, em meus grupos de emagrecimento já tive algumas dezenas de casos de alunas comentando que depois do processo de desintoxicação simplesmente pararam de tomar remédios para dormir e antidepressivos.

Não digo para você parar qualquer medicação aqui. Digo que é possível, ao cuidar das causas, diminuir sintomas. Se você quiser conhecer meu programa de desintoxicação e emagrecimento mais famoso, acesse o Programa D3D aqui abaixo:

DETOX DE 3 DIAS

POR QUE HIPÓCRATES É IMPORTANTE PARA SEU INTESTINO?

“Faça do seu alimento o seu remédio e do seu remédio o seu alimento.” (Hipócrates)

hipocrates faca do seu alimento seu remedio

Enquanto muitos filósofos gregos se preocupavam com a natureza humana, a moral e a política, Hipócrates estudou e discutiu uma questão um pouco diferente: o organismo humano.

Sim! Hipócrates é considerado nada mais e nada menos que o Pai da Medicina! Além de suas contribuições para a medicina, grande parte de sua atenção foi voltada para a parte da nutrição humana.

Ele dizia: ”Todas as Doenças começam no intestino”. Note que ele disse, TODAS. E vamos agora discutir essa origem das doenças e entender como a medicina moderna comprovou isso.

Para Hipócrates, o alimento é um dos maiores remédios para o ser humano! Seu olhar não era tanto para as calorias, mas sim para a qualidade do que comemos. Uma boa alimentação está voltada para os alimentos que consumimos. A alimentação é a base para uma vida saudável.

Ironicamente nossos médicos tem somente 1 (UMA) aula de nutrição durante os 6 anos de faculdade mais os outros 3 anos de residência (tudo isso porque quem ‘paga a conta’ são os laboratórios farmacêuticos que faturam trilhões de dólares todos os anos. Mas isso é assunto pra outro post).

E COMO ESTÃO NOSSAS AMIGAS ANA E ZÉLIA?

Mesmo comendo comidas iguais, Ana e a Zélia não digerem nem absorvem da mesma forma os nutrientes ingeridos. Por isso a Ana quando come um pratão de legumes, vegetais, folhas, gorduras saudáveis e um peixe no molho se sente mega saciada por horas e a Zélia, em pouco tempo, já está morrendo de fome.

Além disso a Ana não tem o vicio causado pelo ‘doce’ na sua vida. Ela não tem dependência por açúcar e por isso acaba verdadeiramente satisfeita sempre que se depara com um prato saudavelmente colorido.

Já a Zélia encara um prato saudável como uma tortura. Seu vício em açúcar e alimentos processados simplesmente não permite ela sentir o gosto de nada que não é industrializado. Tudo que é saudável e natural parece sem graça perto de um Oreo ou um Doritos.

Se a gente parar pra olhar a fonte do problema da Zélia, o intestino estará em primeiro lugar. Um intestino que não funciona direito vai ter prisão de ventre, problemas de absorção e consequentemente problemas de nutrição das células.

A NOSSA FLORA (OU MICROBIOTA) INTESTINAL

Recentemente, em 2014, a medicina confirmou que o corpo humano possui um novo órgão. Esse novo órgão é a nossa microbiota intestinal.

A microbiota é formada pelas nossas colônias de bactérias e são um importante marcador para a saúde dos nossos intestinos. Antes ignorada pelas pesquisas, reconheceu-se que a microbiota pode ser a origem e fonte de problemas sérios quando não está regulada.

Por isso não somos o que comemos…somos o que nossas bactérias e enzimas digestivas quebram para absorvermos pelas paredes dos nossos intestinos (aqui você não precisa saber exatamente a função de cada coisa com detalhes).

O que você precisa saber é que 80% da nossa digestão pode ser simplificada aqui na quebra dos alimentos pelas enzimas digestivas e pela ação de bactérias dos nossos intestinos (agentes probióticos) para fermentar os alimentos que comemos e quebrar em partes minúsculas para serem absorvidos.

Parte desse trabalho é excretado do nosso corpo e parte é jogada pra dentro da corrente sanguínea pelas microvilosidades das paredes do intestino.

REDES DE PESCA: O PAPEL DAS BACTÉRIAS NA PERMEABILIDADE INTESTINAL

A nossa parede do intestino é como se fosse uma rede de pesca. Para que a digestão ocorra corretamente precisamos de enzimas digestivas e dos probióticos pra quebrar os alimentos em nutrientes pequenos e fáceis de serem absorvidos pelas paredes do nosso intestino, a nossa rede de pesca.

O intestino possui um conjunto de bactérias que são chamadas de microbiota intestinal. As bactérias mais benéficas para o corpo humano são chamadas de microbiotas probióticas. Mas também existem as microbiotas patogênicas.

O ponto central é que o equilíbrio entre as duas partes é essencial para sua saúde.

Agora a questão é que o desequilíbrio entre elas é mais conhecida como disbiose intestinal. Isso traz junto um conjunto de inflamações, irritações que alteram o funcionamento dos seus intestinos (deixa seu intestino preso ou solto) e uma série de outros problemas que você vai entender agora.

disbiose intestinal
Se a parede do intestino está em bom estado com microbiotas probióticas (bactérias benéficas) e enzimas digestivas presentes a absorção de nutrientes fica mais fácil e impede que as toxinas prejudiciais a saúde passem para a corrente sanguínea.

Dessa forma, a microbiota probiótica e a patogênica atuam em uma harmonia.

A Ana tem uma quantidade equilibrada de bactérias boas e bactérias patogênicas, tem poucas inflamações e irritações nas paredes do intestino, então a ‘rede de pesca dela’ é assim:

Permeabilidade intestinal
‘Rede de pesca’ da Ana (representação ilustrativa da parede intestinal da Ana)

Quando há um desbalanceamento das bactérias boas e ruins, geralmente vem acompanhado de lesão das paredes dos intestinos e assim a rede de pesca fica cheia de buracos. Veja a representação da parede do intestino da Zélia.

Como a Zelia, tem predominância de microbiota patogênica e tem inflamações e irritações no intestino, sua rede de pesca é representada assim:

lesão na parede intestinal
‘Rede de pesca’ da Zelia (representação ilustrativa da parede intestinal da Zélia)

Quando ocorre inflamação, irritação e lesão na parede do intestino essa harmonia é quebrada.
A permeabilidade intestinal aumenta muito e o intestino perde a capacidade de absorver bem as vitaminas e minerais.

Ainda nesse post vou te falar como fazemos esses buracos e principalmente como fechá-los para que com isso você consiga emagrecer e acabar com o vício em alimento processado (doce ou salgado) que te engorda e te deixa ansiosa.

Esses buracos causam uma inflamação silenciosa e perigosa no nosso corpo.

O que os buracos da rede de pesca causam

toxinas na corrente sanguinea
Sem quebrar direito os alimentos você acaba jogando pra dentro da corrente sanguínea toxinas, bactérias patogênicas e muitas vezes alimentos não completamente quebrados pelas enzimas digestivas e bactérias probióticas e ai seu corpo vê aquilo na corrente sanguínea como um agente inflamatório e mobiliza o sistema imune.

Com isso o seu corpo gasta energia pra combater esse agente estranho que caiu na corrente sanguínea (que pode inclusive ser um alimento não completamente digerido).

Esse processo inflamatório é a raiz da sua falta de energia, das intolerâncias alimentares, da debilidade do sistema imune, da falha em órgãos como a tireóide até da geração de doenças auto-imunes pela constante ativação desnecessária.

Além disso há diminuição da absorção de vitamina b12, zinco, magnésio e ferro.

Então você gera:

  • inflamação,
  • intolerâncias alimentares,
  • problemas em funções de órgãos específicos
  • doenças auto-imunes
  • diminuição de absorção de vitamina b12, zinco, magnésio e ferro.

O que a inflamação pode causar efetivamente na minha vida?

Isso tudo gera um efeito dominó perverso. Um fator acaba desencadeando outro.

Voltando pra Ana e Zélia:

Ana quebra com as enzimas e com o balanço bom das bactérias dos intestinos, os alimentos em nutrientes fáceis de serem absorvidos pelo corpo. Ela não gera inflamação, não gasta energia ativando o sistema imune e não tem problemas para absorver vitaminas e minerais.

Já a Zélia, comendo o mesmo que a Ana, não consegue quebrar os alimentos em nutrientes fáceis de serem absorvidos. Zélia está com a rede de pesca toda furada e assim joga nutrientes ‘mal-quebrados’ pra dentro da corrente sanguínea.

Zélia acaba lesionando ainda mais as paredes do seu intestino e assim toxinas e agentes patogênicos entram na sua corrente sanguínea.

Zélia com uma simples alimentação saudável ativa seu sistema imune para combater aquela inflamação. Com isso ela gasta energia completamente desnecessária e ai podem acontecer vários sintomas completamente indesejáveis.

Como Zélia não consegue absorver os nutrientes corretamente, ela passa fome. Mesmo comendo saudável.

Como mais de 50% da serotonina é produzida do intestino – e déficit de serotonina está ligado a males do humor como ansiedade e depressão – Zélia está sempre ansiosa e depressiva. Mesmo comendo saudável.

Como Zélia está com as paredes dos intestinos lesionadas, seu corpo entende que aqueles nutrientes ‘mal-quebrados’ são agentes patogênicos e gasta uma energia tremenda, Zélia vive sem energia. Mesmo comendo saudável.

Além disso Zélia tem problemas no cólon (prisão de ventre, constipação e as vezes diarreia).

Vou parar de falar da coitada da Zélia que está perdida sem nem saber por onde começar.

Outros problemas comuns de acontecerem com quem está acima do peso e está com as paredes dos intestinos lesionadas:

  • Engordar
  • problemas de pele (acne, rosácea e psoríase)
  • problemas no cólon (constipação, diarreia, ibd)
  • problemas de tireoide (hashimoto)
  • problemas emocionais (ansiedade, depressão, vicio e adhd
  • ‘ites’ (sinusites, gripes e sensibilidades alimentares)
  • articulações e juntas (artrite reumatoide, fibromialgia, dor de cabeça)
  • fadiga adrenal

O que exatamente causa essa permeabilidade?

Intestino preso
São muitas perguntas que passam pela nossa cabeça! Mas todas serão respondidas nesse post ou no campo de perguntas e respostas lá no final.

Existem mais de 12.600 estudos sobre permeabilidade intestinal e como ela afeta todo o nosso corpo.

A permeabilidade intestinal pode ser causada por diferentes fatores, fique atento!

  • Dieta pobre (Amilopectina)
  • Antibióticos
  • Toxinas
  • Álcool, laxantes e cortisona
  • Bactérias Ruins

Além disso ela pode ser causada por doença celíaca, doença de Crohn, candidíase intestinal, produtos tóxicos, alcoolismo, infecções intestinais. Diversos fatores!

Dieta pobre

A Dieta pobre, cheia de alimento industrializado e açucarado lesiona as paredes dos nossos intestinos e favorece o desbalanceamento das bactérias probióticas e bactérias patogênicas.

A dieta pobre (carregada de alimentos processados, industrializados com uma quantidade excessiva de açúcar) favorece um desequilíbrio floral uma vez que bactérias patogênicas preferem esses alimentos. Assim você está alimentando o crescimento dessa colônia ruim.

Destaque para a amilopectina do glúten.

O intestino possui uma proteína chamada ‘’zonulina’’, que é responsável pelas ligações que trabalham na passagem ou não passagem de partículas. Ou seja, quando a zonulina é liberada no intestino, essas ligações abrem um espaço entre elas para que as partículas passem.

Mas a questão é que o Glúten libera zonulina. Dessa forma, com o consumo de glúten, partículas maiores tendem a passar pelo intestino, que se torna muito mais permeável. Isso afeta diretamente no fator de obesidade também!

Então sua alimentação tem um papel fundamental nesse processo de regeneração.

Antibióticos

São verdadeiras ‘bombas nucleares intestinais’. Devastam tanto as bacterias boas quanto as ruins.
O uso indiscriminado de antibióticos afeta diretamente nossa imunidade.

Tenha muito cuidado ao tomar recorrentemente e por muitos anos antibiotico na primeira gripe ou dor de garganta. Isso pode estar te engordando, te adoecendo e te deixando deprimida.

Toxinas

Açúcar nas suas mais de 50 formas (incluindo as formas salgadas como aquele pastel) são até 8x mais viciantes que a cocaina e que a heroina. Não é normal você precisar se segurar pra não atacar uma mesa de doce em festa de criança. Isso é vício e pra ser combatido precisa de um processo claro de desintoxicação.

Álcool, laxantes e Cortisona

A Disbiose também pode ser causada pelo uso abusivo de álcool, uso de laxantes e cortisonas da vida. Fique atento!


Antes de tudo é preciso detectar o que está causando essa permeabilidade intestinal, já que existem diversos possíveis fatores, como vimos acima.

Tem tido cansaço excessivo?  Dores de cabeça? Dificuldade para emagrecer?
Seu intestino pode estar desequilibrado!

Quando seu intestino não funciona bem (intestino preso ou solto) você pode estar com Disbiose Intestinal ou alteração da permeabilidade intestinal e nem sabe! Se você tem notado:

  1. Cansaço excessivo
  2. Dores de cabeça
  3. Prisão de ventre
  4. Diarréia
  5. Unhas fracas
  6. Queda de cabelo

3 passos para melhorar seu intestino preso 

Permeabilidade intestinal
1-Retirar os gatilhos inflamatórios

  • Gluten – lesionam as paredes dos intestinos e provocam muitas vezes picos de insulina que geram fome dos alimentos que geraram lesões.
  • Consumo desnecessário de antibióticos – o que tomamos na primeira dor de garganta que aparece. Aparecem nos sabonetes em produtos de limpeza e até mesmo nas carnes e ovos que consumimos. Todas essas formas são responsáveis por destruir a nossa flora intestinal, uma verdadeira bomba nuclear para nosso intestino. Então muito cuidado com a banalização do uso de antibióticos.
  • Diminuir o consumo de açúcar que alimenta bactérias patogênicas, alimenta cândida e causa picos de insulina. Lembrando que açúcar não é apenas o que você coloca no cafezinho, são os alimentos com alto índice e carga glicêmica como a batata inglesa, o pãozinho frances.
  • Diminuição do consumo de lácteos (iogurtes, leites e queijos) feito em larga escala em supermercados. Os lácteos do supermercado são fermentados artificialmente. São usados acidulantes e espessantes para simular a consistência de iogurte natural. Esses são dos piores alimentos que você pode inserir na sua dieta.
  • Evitar alimentos que causam alergia em você. Sem isso você não ativa desnecessariamente seu sistema imune.

2-Alimentar o intestino com nutrientes-chave

  • Caldo de osso. Consumido há mais de 5000 anos é fantástico porque contém aminoácidos como glicina, prolina e l-glutamina. Prolina participa da síntese do colágeno que é fundamental para você ter uma pele saudável e firme. A prolina ajuda na reparação da síndrome do intestino irritável e auxilia a desintoxicação.
  • Coco e óleo de coco ajuda na eliminação das bactérias ruins.
  • Vegetais Fermentados (ricos em pre e probioticos),
  • kefir,
  • blueberries,

3-Suplementos

  • probióticos (naturais ou por meio de suplementação)
  • enzimas digestivas – ajuda a quebrar a comida (glúten) e dá um descanso para seus intestinos
  • Ervas adaptogênicas , por exemplo para Adrenal e Tireóide: ginseng, ashwagandha e licorice.
  • L-glutaminaband aid dos intestinos. Ajuda a regenerar e tapar os buracos dos intestinos.

Conclusão

Voltando para a Ana e Zélia. Não somos o que comemos, somos o que as bactérias e enzimas digestivas quebram e fermentam para que possamos absorver com facilidade por meio das nossas redes de pesca não lesionadas, isso é, com uma boa permeabilidade intestinal (sem buracos).

Nós temos mais bactérias do que células no nosso corpo e se não cuidarmos de favorecer um balanço saudável entre as boas e ruins, geramos o efeito dominó que vimos.

Por isso há tanta pesquisa em relação a intestino preso, intestino solto, disbiose, permeabilidade intestinal e síndrome do intestino irritável porque é aí que está o cerne dessa epidemia de obesidade, doenças crônicas e degenerativas que vivemos.

O principal tratamento, está ligado a alimentação e seus hábitos cotidianos.

O tratamento para Disbiose é principalmente feito por uma dieta a base de alimentos prebióticos, que são carboidratos não digeríveis ou fibras. A intenção dessa dieta com esses alimentos é regular os micróbios do intestino para que volte a funcionar de uma maneira harmônica.

Conforme te prometi ao longo do texto, clique aqui para baixar 21 receitas maravilhosas que podem te ajudar na regeneração dos seus intestinos.
São 7 dias de café da manhã, almoço e janta que preparei pra mim e resolvi disponibilizar pra você. 

CARDÁPIO GRÁTIS

Ao mudar os hábitos alimentares para cuidar do seu intestino preso ou para tratar de problemas específicos como a síndrome da permeabilidade intestinal e a disbiose Intestinal, mudamos também nosso organismo.

Como conversamos ao longo do texto ao restabelecer o equilíbrio do intestino, você pode desbloquear um emagrecimento saudável e chutar pra longe a ansiedade, depressão, doenças crônicas e degenerativas!

Um bjo,
Tiago

O que você achou desse artigo?